.

CURSO DE CATEQUESIS: TEMA 11: JESUS NASCEU DE SANTA MARIA, VIRGEM

INTRODUÇÃO:

O Evangelho de São Lucas conta que Deus enviou o arcanjo São Gabriel a Nazaré, manifestando a Maria que tinha sido escolhida para ser a Mãe de Deus. Muitos quadros representam esta cena, que chamamos de Anunciação.
A conversação entre o arcanjo e a Virgem termina com esta aceitação humilde e confiada: "Eis aqui a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a sua palavra" (cf. Lc 1,38). Naquele mesmo instante realizou-se a ENCARNAÇÃO DO VERBO nas puríssimas entranhas da Santíssima Virgem, e nove meses mais tarde nascia Jesus - verdadeiro Deus e verdadeiro homem - em Belém.
A Virgem não é só a Mãe de Deus: é também nossa Mãe. Quando morria na cruz, Jesus deu-nos Maria por Mãe. Ela vive no céu como Rainha e Senhora de todo o criado, mas nos vê, nos ouve e, sobretudo, nos ama. Como as mães da terra, a Virgem cuida de nós e nos protege. Temos de conhecer e amar muito àquela que é a Mãe de Deus e nossa Mãe.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. Maria é verdadeiramente Mãe de Deus

Todos nós temos uma mãe, e é de verdade nossa mãe porque nos engendrou e deu à luz. Maria engendrou o corpo de Jesus, no qual Deus infundiu a alma; e no mesmo instante, a este corpo e alma uniu-se a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade: o Verbo de Deus. Desta forma o Filho de Deus se fez homem sem deixar de ser Deus. Maria carregou durante nove meses em seu seio a Jesus Cristo, com seu corpo, sua alma e sua Divindade, depois dos quais nasceu em Belém. Por isto é verdadeira Mãe de Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem. É verdadeiramente a Mãe de Deus.

2. Principais dogmas e privilégios marianos

O maior dom que Deus concedeu a Maria Santíssima é o de ser sua Mãe. E, por ser sua mãe, encheu-a de graça e de extraordinários privilégios. Queremos conhecer muito bem à Virgem, e por isto convém saber o que Deus fez nela:

a) A Imaculada Conceição. Esta prerrogativa significa diretamente que a Virgem não teve pecado original; desde o mesmo instante de sua concepção e em atenção aos méritos de seu Filho, Jesus Cristo, Deus a preservou imune da culpa original. Mas supõe, ao mesmo tempo, que Deus a dotou de santidade inteiramente singular, como o expressou o arcanjo São Gabriel ao saudá-la no momento da Anunciação: "Ave, ó cheia de graça" (cf. Lc 1,28)

b) Foi sempre virgem. É também dogma da fé católica que Maria foi sempre Virgem: antes de engendrar a Cristo, no nascimento e depois de nascer. Por isto chamamos Maria "A Virgem".

c) A Assunção. Maria está em corpo e alma no céu. Outro grande privilégio de Maria é que, depois de terminar o curso desta vida, foi levada em corpo e alma ao céu. Este privilégio é decorrente da isenção do pecado original.

d) Outros privilégios da Virgem. Maria é também Co-redentora, pois foi associada por Cristo à redenção do gênero humano. É a Rainha e Senhora de tudo o que foi criado, como dizemos no 5o mistério do Santo Rosário. É a Mãe da Igreja e a Medianeira de todas as graças. E, sobretudo, para nós, é nossa Mãe.

3. Maria é nossa Mãe

É uma maravilha saber que Deus adornou a sua Mãe com tantas graças, querendo que fosse também nossa Mãe. Compreendamos as razões de sua maternidade para conosco:

a) Porque Jesus Cristo é nosso irmão. São Paulo diz que Jesus Cristo é "o primogênito entre muitos irmãos" (cf. Rm 8,29). Logo, se Maria é a Mãe de Jesus, nosso irmão, com toda a razão podemos chamá-la, assim como Ele, "Nossa Mãe", ainda que a maternidade em relação a Cristo seja física e natural, enquanto que, em relação a nós, seja maternidade espiritual.

b) Porque Jesus Cristo deu-nos Maria como Mãe. Ao pé da cruz São João representava a toda a humanidade quando Jesus Cristo lhe entregou a Maria como mãe. A ele e a nós com ele, disse: "Eis a tua mãe" (cf. Jo 19,27). Desde aquele momento, todos nós cristãos, recebemos a Maria em nossa casa, em nosso coração, e a temos como nossa mãe.

c) Porque ela intercede por nós. Os cristãos de todos os tempos, e também nós, pedimos coisas à Virgem, que está em corpo e alma no céu. Ela está ali, mas nos escuta, nos ajuda, nos quer como filhos. Cada um de nós poderia contar muitas coisas que Deus nos tem concedido pela intercessão de Maria, nossa Mãe. Muitíssimas outras Ele nos concede, pela mesma intercessão maternal de Maria, sem que o saibamos. Ela nos ama como filhos e pede a Deus o melhor para cada um de nós.

4. Temos de comportar-nos como bons filhos da Virgem Maria

Com nossa mãe da terra nós não nos confortamos em conhecê-la e saber que nos ama e se preocupa conosco; o bom filho é o que corresponde a este amor e o demonstra com obras: tem com ela detalhes de carinho, obedece-a prontamente, a ajuda, faz as coisas que lhe agradam e evita as que a deixam desgostosa, etc.. Com nossa Mãe do céu acontece a mesma coisa. Depois de conhecê-la muito bem, é preciso querê-la com obras. E demonstramos com obras que queremos bem a Virgem, se nos comportamos como a ela agrada, e vivemos, em relação a ela, alguma devoção mariana.

5. Propósitos de vida cristã

  • Adquirir algum tipo de devoção a Nossa Senhora, e vive-la cada dia
  • Aprender e rezar muitas vezes, as orações dirigidas a Nossa Senhora
Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino