.

CURSO DE CATEQUESIS: TEMA 27: NA CONFIRMAÇÃO, SE RECEBE O ESPÍRITO SANTO

INTRODUÇÃO:

Se fixarmos nossa atenção nos Apóstolos, antes e depois da vinda do Espírito Santo em Pentecostes, vamos observar algumas diferenças importantes: antes, tinham medo e depois pregam a palavra de Deus com decisão; os que eram incultos e ignorantes, depois falam dos mistérios de Deus e línguas estranhas. Esta mudança tão surpreendente é produzida porque, naquele dia, receberam a plenitude do Espírito Santo. De maneira semelhante, os fiéis recebem também a plenitude do Espírito Santo no sacramento da confirmação. Este tema pode servir para conhecer melhor a natureza e os efeitos do sacramento e, se ainda não foi recebido, para preparar-se bem com a vontade de recebê-lo o quanto antes.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. Os Apóstolos receberam a plenitude do Espírito Santo em Pentecostes; nós, na confirmação

Os Apóstolos já tinham recebido o Espírito Santo antes da ascensão do Senhor aos céus; na tarde da ressurreição Jesus apareceu-lhes no Cenáculo, soprou sobre eles, dizendo: "Recebei o Espírito Santo" (Jo 20,22). Mas em Pentecostes encheram-se do Espírito Santo e de dons excepcionais (cf. At 2,1-4). Também nós recebemos no Batismo o Espírito Santo junto com a graça, mas o Senhor instituiu o sacramento da confirmação que é necessário para a plenitude da graça batismal. A confirmação une mais intimamente à Igreja e enriquece com uma fortaleza especial do Espírito Santo; de forma que nos comprometemos muito mais, como autenticas testemunhas de Cristo, a estender e defender a fé cristã com nossas palavras e obras, a mostrar-nos perante os demais como verdadeiros discípulos de Cristo.

2. Efeitos do sacramento da confirmação

De maneira parecida ao que sucedeu aos Apóstolos no dia de Pentecostes, este sacramento produz na alma estes frutos:

a) Aumenta a graça: a vida da graça que se recebe pela primeira vez no batismo adquire um novo empenho com a confirmação: há um crescimento e um aprofundamento da graça batismal.

b) Imprime caráter: a confirmação imprime uma marca espiritual indelével - o caráter -, para ser testemunha de Cristo e colaboradores de seu Reino; por isso, só se pode receber este sacramento uma vez na vida.

c) Fortalece a fé: a palavra confirmação significa fortalecimento; com este sacramento nossa fé em Jesus Cristo fica fortalecida.

d) Nos faz testemunhas de Cristo: a confirmação nos dá forças para defender a fé e de nos defender-nos dos inimigos exteriores da nossa salvação: o demônio, o mau exemplo e inclusive as perseguições, abertas ou disfarçadas, que podem acontecer a nós, cristãos. Dá-nos vigor para confessar com firmeza nossa fé sendo testemunhas de Cristo, colaborando na santificação do mundo e atuando como apóstolos onde vivemos e trabalhamos.

3. Ministro, sujeito, matéria e forma do sacramento da confirmação

Ministro ordinário deste sacramento é o Bispo; extraordinário, o presbítero que goza desta faculdade pelo direito comum ou por concessão peculiar da autoridade competente; em perigo de morte, o pároco ou qualquer presbítero. O sujeito é toda pessoa batizada que não tenha recebido este sacramento anteriormente. Para recebê-lo deve-se estar na graça de Deus, conhecer os principais mistérios da fé e aproximar-se do sacramento reverência e devoção. A matéria é a unção na fronte com o crisma (mistura de azeite e bálsamo consagrada pelo bispo), que se faz enquanto se impõe a mão. A unção significa um dos efeitos do sacramento: robustecer a fé. A forma é constituída pelas palavras que pronuncia o ministro: "N. recebe por este sinal Espírito Santo, Dom de Deus". O crismando responde "Amém".

4. Estimar muito a confirmação

Posto que a confirmação faz do fiel cristão uma testemunha de Jesus Cristo, desenvolvendo e aperfeiçoando as graças recebidas no batismo, é preciso lutar por manter os frutos do sacramento. Só assim seremos fortes para confessar com inteireza a fé cristã. E o conseguiremos se acudirmos com freqüência aos sacramentos da penitência e da eucaristia. Ordinariamente, a vida cristã se desenvolve em circunstâncias correntes e normais; só em circunstâncias extraordinárias, o Senhor pode nos pedir o heroísmo do martírio, derramando o sangue para confessar a fé em Jesus Cristo. Sem dúvida, o Senhor pede a todos o esforçar-se em pequenas lutas da vida diária: trato com os pais e irmãos, trabalho bem feito e oferecido a Deus, ajuda generosa e desinteressada aos companheiros, fidelidade à doutrina de Jesus Cristo e difusão da fé com o exemplo, a amizade e os bons conselhos.

5. Propósitos de vida cristã

  • Alimentar o desejo de receber o sacramento da confirmação, caso não o tenha ainda recebido. Caso contrário, ser agradecido a Deus por este sacramento, dom do Espírito Santo.
  • Procurar viver como verdadeiro cristão, com valentia, sem respeitos humanos, consciente de que a confirmação faz ao fiel "testemunha de Cristo".
Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino