.

CURSO DE CATEQUESIS: TEMA 29: JESUS ESTÁ REALMENTE PRESENTE NA EUCARISTIA

INTRODUÇÃO:

Sabemos que Cristo morreu, ressuscitou e subiu ao céu, onde está sentado à direita do Pai e intercede por nós. Mas está presente também em sua Igreja de muitas maneiras: em sua Palavra, na oração, nos pobres, nos enfermos, nos sacramentos...; e está presente, sobretudo, sob as espécies sacramentais do pão e do vinho, que contém o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, como ensina a fé. Este mistério se entende melhor com o coração, porque é fruto do Amor do Senhor para conosco. Tinha Ele que ir, mas queria ficar conosco, e o que para os homens é impossível, pode Deus fazer; o Senhor ficou realmente presente na Eucaristia com seu Corpo, seu Sangue, Alma e Divindade. Na Eucaristia está contido o verdadeiro Corpo de Jesus Cristo, o mesmo que nasceu da Virgem e está sentado à direita de Deus Pai. Desde o princípio, os cristãos creram nesta verdade.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. Na Eucaristia está presente o mesmo Jesus Cristo

Ainda que a fé da Igreja tenha sido sempre a mesma, a doutrina foi-se desenvolvendo e o Concílio de Trento afirma que na Santíssima Eucaristia estão contidos verdadeira, real e substancialmente o corpo e o sangue junto com a alma e a divindade de nosso Senhor Jesus Cristo, e, por conseqüência, Cristo inteiro. É o que se conhece como presença real de Cristo no sacramento da Eucaristia. Chama-se real não a título exclusivo, como se as outras presenças não fossem reais, mas por excelência, porque é substancial e por ela Cristo, Deus e homem, se faz totalmente presente, como explica Paulo VI. Esta luz que arde dia e noite junto ao Sacrário nos recorda que Jesus está ali, realmente presente.

2. A transubstanciação

Ante a realidade sobrenatural do mistério eucarístico - a presença real de Cristo sob os véus do pão e do vinho - é inevitável a pergunta: O que aconteceu? Porque antes era pão e vinho, e quando o sacerdote diz: "Isto é o meu corpo", "Este é o cálice do meu sangue", aquilo é o Corpo e o Sangue de Cristo. É o que nos diz a fé, e a palavra de Deus não pode falhar. Efetivamente, pelo poder divino outorgado ao sacerdote produziu-se uma mudança, uma conversão - e conversão de substâncias, porque as aparências externas não mudaram -, razão pela que, o que era substância de pão se converteu na substância de Cristo, no Corpo de Cristo e o que era substância de vinho se converteu na substância de Cristo, no Sangue de Cristo. Esta admirável e singular conversão é o que se conhece com o nome de transubstanciação, ou mudança de substância. É um mistério excepcional que a razão humana não tem condições de compreender, mas que Deus pode realizar por meio de seu ministro, o sacerdote.

3. Jesus Cristo está realmente presente nas formas consagradas e em cada uma de suas partes

Quando o sacerdote consagra muitas formas cremos que Jesus Cristo está realmente presente em todas e cada uma delas. Também cremos que, se uma forma se parte em diversos pedaços, Jesus Cristo está todo inteiro em cada um deles. Por isso o sacerdote recolhe cuidadosamente as partículas das hóstias consagradas, ainda que sejam muito pequenas, como é indicado na Ordenação Geral do Missal Romano. O Senhor ficou entre nós por amor, e é com amor que haveremos de tratá-lo.

4. Os cristãos devem manifestar fé e amor para com a Eucaristia

Os Apóstolos receberam um encargo do Senhor: "Fazei isto em memória de mim" (Lc 22,19), e a Igreja não cessou mais de realizar estas palavras na celebração litúrgica, que não é uma mera recordação, mas atualização real do memorial de Cristo: de sua vida, de sua morte, de sua ressurreição e de sua intercessão mediadora junto ao Pai, que se realiza na Eucaristia. Desde meados do século II, e segundo o relato do mártir São Justino, temos atestadas as grandes linhas da celebração eucarística, que permaneceram invariáveis até os nossos dias.

5. A Eucaristia, renovação não cruenta do sacrifício da cruz

A crença nestas verdades de nossa fé tem levado a Igreja a render culto de adoração ao Santíssimo Sacramento. Este culto à Sagrada Eucaristia foi vivenciado sempre pelo povo cristão através de muitas devoções eucarísticas:

  • A quinta-feira santa, em que celebramos a instituição da Eucaristia e especialmente do sacrifício da Missa.
  • A festa de Corpus Christi, que celebra a presença real de Jesus Cristo, e o Santíssimo Sacramento é levado solenemente em procissão pelas ruas da cidade.
  • A exposição e benção com o Santíssimo Sacramento, passando um momento com o Senhor sacramentado em intimidade de adoração e sincero agradecimento.
  • As visitas ao Sacrário, por parte dos fiéis para acompanhá-lo. E tantas outras orações que alimentam a piedade eucarística: comunhões espirituais, o hino Adoro Te devote, as orações para antes e depois de comungar, etc.. Guiados pela fé, é um detalhe de nobreza humana oferecer a Jesus no Sacrário coisas dignas: que o Sacrário seja de qualidade, cuidar dos vasos sagrados, esmerar-se na limpeza; mas sobretudo, o respeito e a adoração: a genuflexão bem feita diante do Sacrário, acudir com freqüência a visitar o Senhor - ao menos com o pensamento e o desejo -, atualizar a fé na Eucaristia ao passar por uma Igreja, etc...

6. Propósitos de vida cristã

  • Propor-se a fazer cada dia uma visita ao Santíssimo no Sacrário da Igreja.
  • Ao entrar na Igreja, ir sempre, primeiramente, saudar o Senhor, no Sacrário.
Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino