.

CURSO DE CATEQUESIS: TEMA 12: A VIDA OCULTA DE JESUS

INTRODUÇÃO:

Ao rezar o Credo professamos com toda a claridade os mistérios da Encarnação (concepção e nascimento de Cristo) e da Páscoa (paixão, crucificação, morte, sepultura, descida aos infernos, ressurreição e ascensão); mas não se explícita a vida oculta nem a vida pública. O Evangelho, em troca, presta atenção - mais brevemente - aos mistérios da infância e vida oculta, desenvolvendo por extenso a vida pública, na qual sobressai o que Jesus fez e ensinou.

Mas o cristão há de imitar a vida de Jesus e é importante conhecê-la por inteiro; os trinta anos que viveu em Belém, Egito e Nazaré e os três anos que passou pregando o Reino de Deus; sua doutrina, seus milagres, seu amor à humanidade que o levou à paixão e morte, até ressuscitar e subir aos céus.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. A vida de Jesus, um ensinamento contínuo

Quem conhece bem a vida de Nosso Senhor Jesus Cristo sabe que toda ela foi um ensinamento contínuo: seu ocultamento, sua obediência, seu trabalho, seus milagres, sua oração, seu amor pelos homens, sua predileção pelos mais pequenos e pelos pobres, a aceitação total do sacrifício na cruz, para a salvação do mundo, tudo o que fez.

2. O nascimento em Belém

Como tinham predito os profetas, Jesus nasceu em Belém de Judá depois de séculos de preparação. Deus enviava a seu Filho, nascido homem das entranhas puríssimas da Santíssima Virgem, para salvar a todos e mostrar-nos o caminho que conduz ao céu. Nasceu em estábulo humilde, de uma família pobre, dando-se a conhecer a uns humildes pastores que foram os primeiros em adorá-lo. São lições de humildade, de pobreza, de simplicidade... que todos nós cristãos temos de aprender e seguir.

3. O grande acontecimento do Natal

O evangelho conta o nascimento de Jesus Cristo, o Filho de Deus feito homem, com esta simplicidade: "Aconteceu naqueles dias que saiu um edito de César Augusto para que se recenseasse todo o mundo (...). José subiu da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, que se chama Belém, por ser ele da casa e da família de Davi, para recensear- se com Maria, sua esposa, que estava grávida. Estando ali, cumpriram- se os dias do parto, e deu à luz a seu filho primogênito, e o envolveu em panos e o depositou em um presépio, por não ter lugar para eles na hospedaria" (cf. Lc 2,1-7). Cada ano, no dia 25 de dezembro, celebramos o Natal e os acontecimentos relacionados com ele: a Sagrada Família (domingo depois do Natal), a Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus (1 de janeiro) e a Epifânia do Senhor (domingo mais próximo a 6 de janeiro).

4. Os mistérios da infância de Jesus

Os grandes acontecimentos ou mistérios da infância de Jesus são:
a) A Circuncisão, ao oitavo dia de seu nascimento, como se fazia com os meninos judeus; era uma cerimônia que prefigurava o batismo.
b) A Epifânia, ou manifestação de Jesus como Messias de Israel, que celebra a adoração dos Reis Magos.
c) A Apresentação de Jesus no Templo. Em cumprimento da lei de Deus, Maria e José apresentaram Jesus no templo de Jerusalém, quarenta dias depois do nascimento; a mãe - neste caso a Virgem Maria - cumpria com a lei da purificação. Maria não estava obrigada a isto, por ser virgem e sem mancha do pecado, mas quis submeter-se em tudo à Lei de Deus.
d) A fuga para o Egito e a matança dos Inocentes. Desde o princípio Jesus foi perseguido, e os cristãos de todos os tempos sofrem também a perseguição e o martírio.

5. A vida oculta de Jesus

A maior parte de sua vida, Jesus viveu como a imensa maioria dos homens: uma vida corrente sem aparente importância, vida de trabalho, a vida religiosa submetida à Lei de Deus, vida de comunidade em sua cidade com os parentes, amigos e conhecidos. O Evangelho diz que Jesus obedecia a seus pais e progredia em sabedoria, idade e graça perante Deus e perante os homens. Só o acontecimento da perda e encontro de Jesus no Templo, à idade de doze anos, que narra São Lucas, quebra a aparente monotonia da vida oculta, cheia, por outro lado de sentido e ensinamentos.

6. O papel de São José

Sabemos que Jesus nasceu da Virgem Maria, concebido por obra e graça do Espírito Santo. Deus era seu Pai, mas quis que alguém fizesse as vezes de pai, na terra. A pessoa escolhida foi José, um homem justo da casa de Davi. José, esposo virginal de Maria e pai legal de Jesus, exerceu com Ela e com o Filho de Deus os ofícios de esposo e pai, nesta terra. Com seu trabalho de artesão na pequena cidade de Nazaré proveu e cuidou da vida de Jesus e da Virgem, ensinando a seu Filho seu ofício profissional.

7. A santificação no trabalho de cada dia

Imitando o exemplo de Jesus Cristo - que passou na terra trinta anos de vida oculta trabalhando -, e também da Virgem e de São José, nós cristãos nos santificamos na realidade ordinária do próprio trabalho. Santificar- se com o trabalho quer dizer buscar, encontrar e amar a Deus nas coisas que fazemos, servindo assim aos demais. Por isto, pode-se resumir a vida de um cristão corrente dizendo que há de santificar o trabalho, santificar-se no trabalho e santificar os outros com o trabalho profissional. Para consegui-lo é preciso fazer o próprio trabalho com esmero e atenção, acabando até o último detalhe, e impregnando-o de amor a Deus.

8. É preciso recorrer sempre à Sagrada Família

Jesus, Maria e José formavam a admirável família de Nazaré, a qual chamamos Sagrada Família. Ao recorrer a José, Maria e Jesus, devemos também aprender a imitar suas virtudes e querer viver segundo o exemplo que nos deram.

9. Propósitos de vida cristã

  • Ler a vida oculta de Jesus, nos Evangelhos, meditando-a.
  • Ter sempre uma devoção muito profunda à Sagrada Família de Nazaré, recorrendo a ela nas necessidades.

Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino