.

O Altar do Sacrifício


O altar é o lugar onde se opera um dos maiores milagres.

Os Santos lhe deram nomes os mais gloriosos: v.g. "a mesa sagrada, a mesa celeste, a mesa mística, onde os justos recebem o penhor da vida eterna; a cadeira e o trono, o túmulo de Jesus".

Nos primeiros tempos a Igreja se servia de altares de madeira, para nos lembrar da mesa do Cenáculo e do instrumento da nossa Redenção. Esses altares tinham a forma de túmulos. Hoje o altar do Sacrifício deve ser de pedra. Se for de madeira, bronze, prata ou ouro, é necessário que o lugar onde devem repousar as Santas espécies, seja de pedra.

Outrora colocava-se ordinariamente o altar sobre o túmulo dos mártires, ou ao menos punham-se relíquias de um ou de muitos deles gloriosos testemunhos de Jesus. Hoje a Santa Igreja ainda exige que se não consagre altar sem colocar relíquias de Santos.

Espécies de altares

a) Altar fixo ou imóvel: é aquele que se consagra per modum unius a mesa com sua base ou tronco.

b) Altar móvel ou portátil: é a pedra de uma dimensão suficiente para receber o Cálice e a Hóstia.

O altar portátil chama-se ordinariamente pedra sagrada.

O altar deve ser coberto de 3 toalhas de linho ou cânhamo para receber o precioso Sangue se por um acidente se derramar no altar.

Simbolismo do altar

O altar representa Jesus Cristo, verdade essa que reluz brilhantemente nas cerimônias da respectiva sagração.

O Bispo sagrante faz duas unções sobre o altar; uma com o óleo, símbolo da misericórdia de Jesus, outra com o Santo Crisma, simbolizando Cristo que significa: ungido, consagrado.
 

Fazem-se 5 cruzes: uma no meio e 4 nos ângulos no modelo das 5 chagas de Jesus. Sobre essas 5 cruzes queima-se o incenso: imagem das orações que as chagas de Jesus fazem subir ao Céu em nosso favor.

As velas que se acendem nessa cerimônia, indicam que essas chagas se tornaram gloriosas depois da ressurreição. Colocam-se 3 grãos de incenso no pequeno túmulo cavado no interior da pedra, em memória dos perfumes, com que José de Arimatéia, Santa Madalena e as Santas mulheres embalsamaram o corpo de Jesus.

As relíquias ali postas, significam a união íntima e inseparável de Jesus com os Santos, mortos na Sua graça e no Seu amor.

Nas 7 aspersões feitas ao redor do altar, vemos uma imagem dos 7 Sacramentos que saem do Coração adorável de Nosso Senhor.

O altar, ou ao menos a mesa sagrada (altar portátil), deve ser de pedra - porque Jesus Cristo na Escritura é chamado a Pedra angular da Igreja (Ephs. II 20).

É por isso que na Quinta-feira Santa há a cerimônia da desnudação dos altares, simbolizando que Jesus Cristo foi despojado de tudo, de Sua glória, amigos, de Suas vestes e lavado com o Sangue e água que saíram de Seu lado aberto.

Com esses dados temos a chave para compreender o porque das toalhas, dos adornos, das incensações e beijos.

* As toalhas representam o sudário e os panos sagrados que envolveram o Corpo de Jesus.
 

* O adorno é uma reparação feita à coroa de espinhos que puseram na cabeça de Jesus.
 

* O incenso são os perfumes preciosos com que Jesus foi embalsamado.
 

* Os beijos representam o amor que todos os cristãos devem ter para com Jesus.

Se o Sacerdote benze a hóstia e o cálice, tem à mão esquerda sobre o altar; se ele ora em união com Jesus, toca o altar, confirmando de algum modo a sua fraqueza; se ele vai dar a paz aos fiéis, primeiramente beija o altar, cerimônias essas que nos indicam ser Jesus Cristo a fonte de toda a bênção, o mediador poderoso, o autor e dispensador da paz.

* O Crucifixo: é para nos ensinar que o Sacrifício incruento é a continuação e reprodução do Sacrifício da Cruz.
 

* As velas de cera: têm uma significação geral concernente a Jesus e aos fiéis.
 

Relativamente a Jesus - a cera, substância puríssima, simboliza que Jesus Cristo é a pureza por excelência e que veio do céu para acender no nosso coração o fogo do amor divino.
 

Relativamente aos fiéis: representa a fé e a caridade.

Na missa rezada:

a) A vela do lado da epístola, simboliza a fé, santidade e fervor de todos os Santos da Antiga Lei, desde Adão até Jesus.

b) A vela do lado do Evangelho: representa a fé, santidade e fervor de todos os Santos da Nova Lei, desde Jesus até o fim do mundo.

Na missa cantada acendem-se seis velas, que simbolizam as seis épocas da Igreja militante.

* Relíquias e vasos de flores - significam que Deus é o Criador e conservador da todas a coisas.

* é a Arca da Aliança da Nova Lei, que guarda o verdadeiro pão da vida: O Deus da Eucaristia.

* Cor dos paramentos:

a) Cor branca - significa - glória, alegria, inocência.
 

b) Cor vermelha - significa - caridade.
 

c) Cor verde - significa - esperança.
 

d) Cor roxa - significa - penitência.
 

e) Cor preta - significa - luto, tristeza.

* Sinais de Cruzes:

São feitos sinais de cruzes, na Missa, sobre o Sacerdote, povo, pão e vinho, sobre as Santas espécies, com o Corpo e Sangue de Jesus na Comunhão.

O Sacerdote faz muitas vezes sinais de cruzes - porque o Sacrifício do altar é o Sacrifício da Cruz.

A Missa tira sua virtude do Sacrifício da Cruz, é um canal de bênção pelo qual Jesus nos comunica as graças adquiridas por Ele no Calvário.

a) Sobre a matéria do Sacrifício só se faz sinal da cruz ímpar, i. e. uma vez, 3 vezes, 5 vezes, para honrar a Unidade da essência divina, as três Pessoas da SS. Trindade, as 5 Chagas de Jesus.

b) Os sinais feitos antes da consagração servem para atrair de Deus as graças ou para indicar que as concede pelos méritos da Cruz.

c) Os sinais feitos depois daO Tabernáculo consagração indicam que os dons do altar são o mesmo Corpo que foi pregado na Cruz e o mesmo Sangue derramado na Cruz.

* Inclinações: são sinais de respeito e humildade.

A genuflexão é o sinal de respeito mais profundo, um sinal de adoração mais completa. Quando o Sacerdote faz genuflexão pensamos na grandeza íntima de Deus, no nosso nada, nos nossos pecados e enchemo-nos de profundos sentimentos de humildade.

* Movimentos dos olhos: têm muitos sentidos, simbolizam a fé, a esperança, ou a caridade.
 

* As mãos.

a) As mãos unidas indicam a devoção, a insistência na oração.

b) As mãos extensas: lembram Jesus Cristo na Cruz orando pelos algozes.

c) Quando as mãos estão estendidas e o Sacerdote as eleva ao céusimbolizam a fé e esperança.

d) Quando as mãos estão estendidas e as une simbolizam a caridade.

e) Algumas vezes o Sacerdote eleva e une logo as mãos - para simbolizar confiança e humildade.

Outras vezes as estende e as une sem elevá-las, significa que o Sacerdote recebe todos os pedidos do povo para oferecê-los a Deus, pois ele é o mediador de seus irmãos.

* Ósculos.

a) Beija o altar - por amor a Jesus, pois o altar é a figura de Jesus.
 

b) Beija os Evangelhos - por amor a Jesus, pois ali estão a história e a palavra de Jesus.
 

c) Beija a Patena - por amor a Jesus, pois Ele repousa li.

* Incensos.

Há na Missa cantada 4 incensações: no Introito, antes e depois do Evangelho e elevação.
 

O incenso é oferecido a Deus, é um ato de adoração.

Na Missa o incenso é um ato de reconhecimento da Divindade de Jesus, em honra do qual a nossa vida se deve consumir pelo amor, como o incenso é consumido pelo fogo no turíbulo.

Se se incensa o altar é porque o altar representa Jesus, se o Evangelho, é porque ali está a palavra de Deus, se o Sacerdote, é porque ele é um outro Jesus, se os fiéis é porque pelo Batismo e a Santa Eucaristia eles são incorporados a Jesus.

O incenso é também figura de oração que, saindo dum coração abrasado de amor, sobe para o trono de Deus como uma coluna de vapor branco e perfumado.

São Cirilo diz também que o incenso é o símbolo do bom cristão, que edifica o próximo pelas suas obras de virtude.

* Voz.

O Sacerdote muda de voz (tom) diversas vezes.

É para mostrar a grandeza do Sacrifício, reanimar a atenção dos assistentes e excitar-se a devoção.

a) Voz alta: para dirigir-se aos fiéis e instruí-los.

b) Voz média: por espírito de humildade e edificação.

c) Silêncio: majestade de Deus e o nada do homem para que cada um possa expor as suas necessidades a Jesus, para indicar que o Sacerdote está nas mais íntima conversação com o céu, para indicar que o silêncio e o segredo, convém á oração e especialmente a mais importante de todas, qual é o Santo Sacrifício.

* Explicação de algumas palavras que se repetem com mais frequência na Missa.

O Sacerdote diz 7 vezes: Dominus vobiscum, o Senhor esteja convosco.

É um belo ato de caridade, é a mais magnífica saudação que se possa fazer... ordinariamente o Sacerdote ao dizer essas palavras beija o altar, volta-se ao povo, abre as mãos e estende os braços.

Abre as mãos e estende os braços - é um gesto inspirado pela vivacidade da caridade fraternal.
 

Tenhamos pois com o nosso próximo um amor sobrenatural - porque é a melhor disposição que podemos levar a oração, a palavra de Deus e a Santa Comunhão.

Muitas vezes o Sacerdote diz em voz alta Oremus, é para exortar a si mesmo e estimular a tenção e piedade dos fiéis...

* O Sacerdote revestido dos ornamentos sagrados, representa a Jesus Cristo na Sua dolorosa Paixão.

a) O Amicto, simboliza o véu ignominioso com o qual cobriram o rosto adorável de Jesus, dando-Lhe bofetadas, dizendo: "Adivinha quem te bateu".

b) A Alva, nos lembra a veste branca com que foi ignominiosamente revestido o Salvador por ordem de Herodes.

c) O Singulo simboliza as cordas com que ataram a Nosso Senhor, quando O prenderam no Horto das Oliveiras.

d) O Manipulo representa a corda com que amarraram a Nosso Senhor na coluna para açoitá-lO.

e) A Estola, é o símbolo de jugo do Senhor que o Sacerdote deve aceitar, por um inteiro devotamento ao Seu serviço. Relembra-nos também a corda que Lhe atiraram ao pescoço, quando ia com a Cruz às costas.

f) A Casula lembra-nos a púrpura que, por escárnio, Lhe impuseram os soldados ao coroá-lO de espinhos.

É também a figura do jugo de Jesus Cristo, que os Sacerdotes e os fiéis devem trazer todos os dias: daquele jugo doce e suave que forma a nossa glória e felicidade.

O Livro da Imitação nos dá o simbolismo da Cruz que vem adiante e atrás da casula:

"O Sacerdote leva diante dele a cruz, na casula, para que medite os exemplos de Jesus Cristo e que os siga com fervor. A cruz que vem atrás da casula é para suportar com paciência os maus tratos. A cruz da frente lembra-lhe que deve chorar as próprias faltas, a cruz que vem atrás da casula, lembra-lhe que deve espiar os pecados dos outros e que sendo o mediador, é necessário oferecer sem cessar o Sacrifício da oração e do altar até que os pecadores obtenham misericórdia e perdão."

g) O Véu do cálice representa a noite tenebrosa da Paixão.

h) O Cálice simboliza o sepulcro.

i) O Corporal representa o sudário com que amortalharam o corpo santíssimo de Jesus.
 

Precisamos de Deus, a toda hora e a cada instante; precisamos da Sua graça, do Seu auxílio, da Sua proteção, na ordem temporal das coisas, como na espiritual.

Pois, é sobretudo pelo Sacrifício da Missa que temos Deus conosco, e lá mesmo O esquecemos; é durante o Sacrifício da Missa que mais eficazmente Lhe podemos expor as nossas necessidades, e descuidamo-nos da Missa; é pelo Sacrifício da Missa que nos é possível cumprir as nossas grandes obrigações para com a Sua majestade infinita, e o Sacrifício da Missa não nos deve ser indiferente; durante o Sacrifício da Missa podemos alcançar misericórdia e perdão, e tesouros de graças para nós e os outros, para o tempo e a eternidade e nem sequer nos vem o pensamento de aproveitarmos um meio tão fácil quão eficaz; nada nos move, nada nos desperta da nossa apatia fatal.

Meus irmãos, o Santo Sacrifício é tudo para nós, reconheçamo-lo e mudemos de proceder a seu respeito...

(O Santo Sacrifício da Missa, pelo Pe. Francisco Cipullo, edição de 1916 )

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino