.

CURSO DE CATEQUESIS: TEMA 45: 1º MANDAMENTO: AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS

INTRODUÇÃO:
O Evangelho nos conta que um doutor da Lei se aproximou de Jesus para tentá-lo: "Mestre, qual é o principal mandamento da Lei?". A resposta foi: "Amarás ao Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma e com toda a tua mente. Este é o maior e o primeiro mandamento" (Mt 22,36-38). No primeiro mandamento está incluído o dever de adorar a Deus. Quando o demônio tentou a Cristo, pedindo-lhe que se prostrasse e o adorasse, o Senhor replicou: "Afasta-te, Satanás, pois está escrito: ao Senhor Deus adorarás, e só a ele darás culto" (Mt 4,10). A adoração do Deus verdadeiro aparece no livro de Daniel - e na vida real de cada ser humano - como o contraste do primeiro mandamento. Para amar a Deus é necessário reconhecer antes seu senhorio e adorá-lo; e se alguém não O adora, é porque não O conhece e não O ama, tendo sido Ele substituído pelas criaturas, que são os falsos deuses do egoísmo e do pecado. Quando o rei Nabucodonosor ordenou que todos adorassem a estátua de ouro que tinha fabricado, os três jovens hebreus se negaram a obedecer, porque só se deve adorar a Deus. Estas passagens nos mostram a grandeza e a importância do primeiro mandamento, cujo conteúdo vamos agora estudar.
IDÉIAS PRINCIPAIS:
1. Conteúdo do primeiro mandamento
Deus é para o ser humano o único Senhor. Criou-nos e cuida constantemente de nós com sua Providência; a existência e o quanto somos ou possuímos, tudo recebemos de Deus. Em conseqüência, Deus pode exigir do ser humano o reconhecimento e a adoração, porque temos com Deus laços e obrigações irrenunciáveis que constituem a virtude da religião. Quais são estas obrigações para com Deus? Reconhecer que é nosso Senhor; crer naquilo que nos revelou; esperar o que nos promete; adorar com culto interno e externo; servi-lo, cumprindo em todo o momento sua vontade; orar, elevando a mente a Deus para louvá-lo, dar-lhe graças e pedir-lhe o que necessitamos; amá-lo, enfim, sobre todas as coisas. O primeiro mandamento manda, pois, crer, esperar e amar a Deus, praticando os atos próprios da virtude da religião.
2. A virtude da religião
À virtude da religião pertencem principalmente os atos internos da alma, que se dão de modo excelente quando fazemos atos de fé, esperança e caridade; quando o adoramos, oramos e lhe damos o culto devido; ao dar-lhe graças e pedir-lhe perdão; quando queremos o que Deus quer. Este é, sobretudo, o culto que espera. Mas temos de fazer também atos externos de adoração: assistir a Santa Missa, ajoelharmo-nos perante o Sacrário, inclinar a cabeça ante o crucifixo, participar com piedade das cerimônias litúrgicas, etc. Temos alma e corpo, e Deus é o criador de ambos. Por isso temos de manifestar-lhe nossa submissão e reverência também em coisas externas, como costumamos fazer com nossos semelhantes com um beijo, uma inclinação, um cumprimento, ou um presente material. Portanto, é um direito fundamental da pessoa humana poder professar livremente a religião em publico ou privadamente.
3. É preciso cumprir sempre a vontade de Deus
Deus é o Senhor e é preciso cumprir com alegria sua vontade, dispostos a realizar com amor o que lhe agrada, como fez Jesus Cristo, nosso Mestre: "Pai..., não se faça a minha vontade, mas a tua" (Lc 22,42). Por outro lado, é nosso Pai que nos ama e nos quer, como ninguém na terra pode querer; daí que sua vontade seja o melhor para nós, e o testemunho verdadeiro de que o amamos seja cumpri-la fielmente, porque é o que Ele deseja. Existem coisas que Deus manda e devemos fazê-las; outra, as proíbe e, por isso, temos de evitá-las. Em determinadas ocasiões, o que Deus pede exige esforço e sacrifício, mas temos de fazê-lo com igual ou ainda maior empenho. Cumprir a vontade de Deus supõe também descobrir a vocação ou chamada que nos faz, tratando de segui-la com fidelidade e constância.
4. Pecados contra o 1º Mandamento
São considerados e são pecados contra o primeiro mandamento os que atentam contra a fé (dúvida voluntária, incredulidade, heresia, apostasia, cisma, ler livros e assistir filmes ou espetáculos que atacam a fé e a moral, discutir sobre questões de fé sem ter a devida preparação...), contra a esperança (desespero, presunção...) e contra a caridade (indiferença, ingratidão, tibieza, ódio, inveja, brigas, escândalo e qualquer pecado mortal). Mas os pecados específicos contra este mandamento são os que contradizem a virtude da religião. Dentre os muitos pecados possíveis, assinalamos os mais conhecidos:

a) A superstição: consiste em atribuir a certos objetos, sinais ou palavras, efeitos desproporcionais, invocando alguma criatura como se fosse Deus. É um desvio do culto que devemos a Deus, conduzindo à idolatria e a distintas formas de adivinhação ou magia.

b) A idolatria: consiste em adorar a deuses falsos ou a dar a uma criatura o culto devido a Deus. É um pecado gravíssimo que Deus condena severamente na Escritura. Hoje, muitos põem também em lugar de Deus os ídolos do dinheiro, do prazer, da comodidade, ou a si mesmos.

c) A adivinhação, espiritismo e magia: é a invocação de forças ocultas - aos mortos e mesmo ao demônio - para averiguar por sua intervenção, coisas desconhecidas ou realizar coisas maravilhosas, como se fossem milagres.

d) O sacrilégio: consiste em profanar ou tratar indignamente pessoas, objetos e lugares consagrados a Deus.

e) O tentar a Deus: com palavras ou obras, por à prova a bondade e onipotência de Deus.
f) A irreligiosidade: é o pecado de não viver a religião, desprezando assim a Deus.

g) O ateísmo: que nega a Deus.

h) O agnosticismo: que, como pensa "não poder ser possível conhecer a Deus", opta por não tê-lo em conta.
5. A veneração da Virgem Maria e dos santos
Nós cristãos, adoramos a Deus. Mas veneramos e invocamos a Virgem Maria, os anjos e os santos, os amigos de Deus, que já estão na glória. Desta maneira honramos a Deus neles; são como um espelho no qual vemos algo da infinita perfeição de Deus. Portanto, ao venerar os santos, celebrando sua memória e pedindo sua intercessão, seguindo seu exemplo e honrando suas relíquias e imagens, honramos a Deus. Por isso, nós cristãos temos as imagens do Senhor, da Virgem, dos anjos e dos santos, e conservamos com veneração as relíquias dos santos. Honrando as imagens e relíquias dos santos, honramos aos santos que elas representam, ou de quem elas são.
6. Importância do 1º Mandamento
O primeiro mandamento é o mais santo e o principal. Cumprindo-o bem, cumprimos todos os demais mandamentos; e não podemos esquecer que amar a Deus sobre todas as coisas é o principal. Ao fim das contas, a única coisa importante para nós.
7. Propósitos de vida cristã
  • Procurar cumprir em todo o momento, a vontade de Deus, manifestada nos seus mandamentos.
  • Fazer sempre muitos atos de fé, esperança e caridade.
Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino