.

CURSO DE CATEQUESIS: TEMA 59: A ORAÇÃO DO SENHOR: O PAI NOSSO

INTRODUÇÃO:

Um dia, depois de Jesus ter orado a seu Pai celestial, um discípulo se aproximou e lhe disse: “Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou seus discípulos” (Lc 11,1). Então, Jesus lhes ensinou o Pai Nosso: “Pai Nosso, que estás no céu, santificado seja o teu Nome; venha a nós o teu Reino, faça-se a tua vontade na terra como no céu. Dá-nos hoje o nosso pão cotidiano, perdoa as nossas ofensas, como também nós perdoamos aos que nos ofendem; não nos deixes cair na tentação, e livra-nos do mal” (Mt 6,9-13). O Pai Nosso deve ser a nossa oração preferida, posto que ela foi ensinada pelo próprio Deus.
IDÉIAS PRINCIPAIS:
1. O Pai Nosso, a principal oração cristã
A oração fundamental do cristão é o Pai Nosso, que os Apóstolos aprenderam dos lábios de Jesus. Por isso é conhecida também como “oração dominical”, porque vem do Senhor. Tertuliano afirma que “a oração dominical é, na verdade, o resumo de todo o Evangelho”. É, pois indubitável que se trata da oração mais perfeita de todas, sendo a oração por excelência da Igreja. Como não podia deixar de ser, o Pai Nosso modela a oração constante da Igreja e de cada cristão em particular: na Missa, nos sacramentos, na liturgia das horas, nos sacramentais, no Santo Rosário, a presença do Pai Nosso é constante.
2. Jesus Cristo nos ensinou o Pai Nosso
Como vimos, o mesmo Jesus Cristo nos ensinou com quais palavras devemos nos dirigir a nosso Pai do céu. Somos seus filhos pela graça, sabemos que Ele nos ama e que está disposto a dar-nos tudo o que lhe pedirmos em nome de seu Filho, Jesus Cristo. Por isso, o Pai Nosso é, sem dúvida, a oração que mais agrada a Deus. Devemos rezá-la com atenção e devoção, dando-nos conta do que dizemos e esforçando-nos para que o coração se identifique com as petições que pronunciamos com a nossa boca. Por isso, será importante conhecer bem o sentido do Pai Nosso.
3. O conteúdo do Pai Nosso
O Pai Nosso tem uma invocação inicial e sete petições, que se referem – as três primeiras – à glória de Deus Pai; a santificação de seu Nome, a vinda de seu Reino e o cumprimento da Vontade divina; as demais apresentam a Deus nossos desejos ou necessidades.
a) Invocação inicial – “Pai Nosso, que estais no céu”: nos dirigimos a Deus, nosso Senhor e Pai, reconhecendo-nos como criaturas e filhos seus; e dizemos “nosso”, porque o Senhor é nosso Deus e nosso Pai, e nós somos seu povo, membros da Igreja e irmãos de todos os demais seres humanos.
b) 1ª petição – “Santificado seja o vosso Nome”: pedimos que o Santo Nome de Deus – só Ele é infinitamente santo – seja reconhecido e honrado por nós e em nós, da mesma maneira que em todas as nações e em cada ser humano.
c) 2ª petição – “Venha a nós o Vosso Reino”: pedimos a Deus que reine nas almas pela graça, que seu reinado se estenda por toda a terra e que depois Ele nos dê o reino da glória.
d) 3ª petição – “Seja feita a vossa vontade assim na terra como nos céus”: pedimos que todos os que vivem neste mundo saibam unir a sua vontade à de Jesus Cristo, para que cumpram sempre a vontade de Deus, assim como já a cumprem os bem-aventurados nos céus.
e) 4ª petição – “O pão nosso de cada dia nos daí hoje”: pedimos que Deus nos dê aquilo que necessitamos para nosso sustento e a conservação de nossa vida corporal e espiritual.
f) 5ª petição – “Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”: pedimos que a misericórdia de Deus perdoe nossos pecados – coisa impossível se nós não perdoamos de coração aos que nos fizeram algum tipo de mal - , seguindo o exemplo de Jesus Cristo com sua vida.
g) 6ª petição – “E não nos deixeis cair em tentação”: pedimos o auxílio para vencer as tentações e perseverar na graça de Deus, o que implica discernimento fortaleza, vigilância e a grande graça da perseverança final.
h) 7ª petição – “Mas livrai-nos do mal”: ao final, o cristão – junto com toda a Igreja – pede a Deus que manifeste a vitória conquistada por Cristo sobre Satanás, príncipe dos demônios, que se opõe frontalmente a Deus e a seu plano de salvação. Pedimos, pois, que nos livre dos males, principalmente do pecado e da morte eterna.
Para confirmar as petições, fora da Santa Missa, dizemos Amém, querendo significar: assim pedi ao Senhor e assim espero que sua divina misericórdia realize: Amém significa “assim seja”, assim se realize o que pedi.
4. Rezar o Pai Nosso com devoção
Sendo o Pai Nosso uma oração tão bela e que tanto agrada a Deus, é lógico que devemos rezá-la com especial atenção: não podemos fazê-lo mecanicamente, repetindo palavras só com a boca, mas colocando a inteligência e o coração no que dizemos, ou seja, com atenção e devoção.
5. Propósitos de vida cristã
  • Repassar, para sabê-las muito bem, as orações comuns dos cristãos: o Pai Nosso, a Ave Maria, o Credo.
  • Colocar toda a atenção e devoção nas orações vocais.
  • Meditar com freqüência nas orações vocais.
Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino