.

Somente a amizade com Deus vence a solidão que aflige a humanidade




Cidade do Vaticano, 18 fev (RV) - Bento XVI iniciou seus compromissos desta sexta-feira recebendo no Vaticano, em audiências sucessivas, mais seis bispos das Filipinas, em visita "ad Limina Apostolorum". A seguir, recebeu em grupo, na Sala do Consistório, 27 prelados da Conferência episcopal do país asiático, na conclusão da visita.

O fascínio deste mundo não pode satisfazer o desejo de felicidade. Somente a verdadeira amizade com Deus pode romper os vínculos da solidão. Foi o que afirmou o Pontífice aos prelados asiáticos. O Papa deteve-se também sobre os desafios que a Igreja nas Filipinas é chamada a enfrentar no presente.

As Filipinas continuam enfrentando numerosos desafios no âmbito do desenvolvimento econômico, mas se deve reconhecer que as dificuldades para uma vida feliz e realizada não são os únicos obstáculos que devem ser enfrentados pela Igreja:

"A cultura filipina encontra-se também diante de questões mais pungentes que dizem respeito ao secularismo, ao materialismo e ao consumismo dos nossos tempos."

O percurso para redescobrir o verdadeiro destino da humanidade pode ser encontrado somente "no restabelecimento da prioridade de Deus no coração e na mente de toda pessoa".

A tarefa de toda evangelização – explicou o Pontífice – é propor "uma relação pessoal com Cristo". "As novas iniciativas na evangelização darão frutos somente se aqueles que as propõem são pessoas que creem verdadeiramente e vivem em si mesmas a mensagem do Evangelho" – ressaltou.

O compromisso dos leigos soma-se ao do clero. Ambos precisam "ouvir a mensagem do Evangelho em sua plenitude" – observou o Santo Padre – para compreender as implicações disso em suas vidas e na sociedade. Nas Filipinas, graças também ao "paciente trabalho da Igreja local", a fé assume, ademais, "um papel muito importante na vida de muitos jovens":

"Continuo a encorajar os senhores bispos a recordarem aos jovens que o fascínio deste mundo não satisfará o natural desejo de felicidade que eles têm. Somente a verdadeira amizade com Deus romperá os vínculos da solidão da qual sofre a nossa frágil humanidade e estabelecerá uma verdadeira e duradoura comunhão com os outros."

"A assistência pastoral aos jovens leva a estabelecer o primado de Deus no coração deles e tende a dar resultados não somente nas vocações ao matrimônio cristão, mas também a todo tipo de chamado" – ressaltou o Papa. Ademais, Bento XVI recordou que se deve também ter a atenção de indicar aos jovens "a importância dos sacramentos como instrumentos da graça de Deus":

"Isso é particularmente verdadeiro para o Sacramento do matrimônio, que santifica a vida conjugal desde o seu início, de modo que a presença de Deus possa ajudar os jovens casais nas dificuldades."

Em seguida, o Pontífice expressou a sua satisfação pelo "bom êxito de iniciativas locais ao promover numerosas vocações para o sacerdócio e para a vida religiosa". Todavia – acrescentou – em muitas dioceses o número dos sacerdotes e o correspondente número de paróquias "ainda não é suficiente para satisfazer as necessidades espirituais da numerosa e crescente população católica":

"Que a missão de evangelização da Igreja possa ser alimentada pelos dons maravilhosos que o Senhor oferece àqueles que Ele chama." (RL)


Fonte:Rádio Vaticano

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino