.

Filo-lefebvrianos II

O artigo na íntegra você lerá no blog irmão Sensus Naturalis clicando AQUI.

Trecho inicial:

- Assinalo brevemente alguns argumentos que os filolefebvrianos aduzem para justificar à Mons. Lefebvre e a FSSPX, defendendo as ordenações episcopais proibidas e outras atitudes e palavras suas contra o Concílio Vaticano II, contra os Papas e contra a Liturgia pós-conciliar.
Os filolefebvrianos tomam esses argumentos dos lefebvrianos, e os fazem seus, uns mais e outros menos. E faço notar nisto que tanto entre os lefebvrianos como entre os filolefebvrianos tem graus muito diferentes na força de suas aprovações e condenações.

1. O princípio do mal menor justifica à Mons. Lefebvre. Ante um mal enorme, a perdição da doutrina da fé e a profanação da liturgia, e um mal menor, a desobediência material à uma lei eclesiástica, Mons. Lefebvre se viu obrigado a eleger entre dois males e, heroicamente - pois bem sabia que cairia sobre ele e sobre os bispos ordenados a excomunhão - optou pelo mal menor. "Le lien officiel à la Rome moderniste n'est à côté de la préservation de la foi!"
(Tissier 589) [1].

Se não leu a primeira parte, clique AQUI.

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino