.

Myrian Rios presidente do Brasil: “Na minha casa mandou eu!”

"Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim.” (Mateus 5,11)

Mulher pró-vida, mãe, religiosa e mineira. Qual o crime de Myrian Rios? Destaque nos Trend Topics Brasil, lista de assuntos mais comentados do Twitter, a atriz, apresentadora da TV Canção Nova e deputada estadual pelo Rio de Janeiro ousou dizer, na Assembleia Legislativa do Rio, o que todo cidadão brasileiro pensa: o Estado não tem o direito de invadir o espaço privado da família para criminalizar a opinião. Foi isso o que a deputada manifestou no dia 22/06 ao dizer, em linguagem popular, que não deixaria os filhos dela aos cuidados de um homossexual que pusesse em risco a educação que ela dá aos meninos dela.

Myrian tem esse direito! E por isso votou contra a PEC 23/07, um projeto de emenda constitucional do Estado do Rio de Janeiro que, a exemplo do PL122, criminaliza qualquer empregador que dispense empregados por motivo de sexo, orientação sexual e identidade de gênero, bastando para isso que o empregado alegue tratamento “homofóbico” da parte do empregador. A deputada expressou sua reprovação quanto isso e demonstrou que o texto do projeto permite que pessoas más intencionadas tenham o direito de permanecer onde não são desejadas. Myrian exemplicou com casos hipotéticos envolvendo uma babá lésbica e um motorista gay, ambos libertinos. O projeto de lei quer cadeia para quem se atrever a demitir um libertino caso ele seja homossexual.

A atitude foi mal recebida por alguns veículos de comunicação com agenda gayzista e repercitiu no Twitter, quando pessoas indignadas começaram o linchamento moral de Myrian baseados na falsa argumentação de que ela acredita ser imoral dar emprego a homossexuais. O absurdo foi planejado para desqualifurcar a deputada e ganhou corpo devido à gravação do discurso de Myrian na Assembleia.

No discuso, Myrian fala de pedofilia para exemplificar o ridículo do projeto de lei que privilegia cidadãos por fazerem sexo com pessoas do mesmo sexo. Ela sugere uma situação extrema na qual poderia descobrir que tem um funcionário pedófilo. Se ele for hétero, poderá ser demitido sem muitos problemas. Mas se for gay e alegar que a demissão dele tem a ver com o fato de ser gay, ainda que isso seja mentira, a palavra do empregado gay, neste caso, manda o empregador para a cadeia.

Sugiro repassar a imagem Myrian Presidente para o maior número de blogs que puderem. Esta é uma forma de apoiar a deputada que está sendo ridicularizada por vários adeptos da ideologia gay.

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino