.

Quando tem passeata gay, vale tudo,


o governo apóia;
a predidente terrorista apóia;
o ex-presidente analfabeto apóia;
o ex-ex-presidente maconheiro apóia;
o italiano assassino radicado apóia;
os sem-terra apóiam;
os sem-teto apóiam;
o prefeito melífuo apóia;
os maconheiros apóiam;
os drogados apóiam;
as feministas apóiam;
o Supremo Tribunal Federal apóia;
os políticos corruptos apóiam;
os "atores", "compositores","músicos", "produtores", "DJs" e "artistas", apóiam;
os sindicatos de cagabundos apóiam;
os ministros e senadores franqueados apóiam;
os "companheiros bolivarianos" apóiam;
as Ongs que vivem de dinheiro do contribuinte apóiam;
as redes de televisão e de rádio e seus jornalistas viados apóiam;
os professores fracassados da USP apóiam;
os publicitários efeminados vendidos apóiam;
os grupos mercenárizados de negros apóiam;
os índíos de nextel na mão apóiam;
os traficantes apóiam;
os bandidos, estupradores, sequestradores, latrocidas e as Ongs de Direitos Humanos apóiam.

E tem até governador de Estado que pede para as corporações militares comparecerem FARDADAS no meio da putaria toda, fazendo o trenzinho da alegria gay.


Entretanto, quem realmente paga essa farra toda de propaganda socialista são os cofres públicos! Em todos os sentidos é sempre que você, cidadão, que tira o dinheiro do seu bolso para pagar esse "clube" de vagabundos.

Já quando há uma manifestação religiosa, ou qualquer manifestação de apóio à família, todas essas "classes marginalizadas" acima caem de pau e pedra e tiro e lei em cima desta. Sempre com o mesmo argumento dos covardes gramncianos: "eles são os opressores, nós somos as vítimas!".

No entanto, os ataques às religiões cristã e judaica, à religiosidade em geral, aos cultos, aos símbolos religiosos; e a ironia, a violência discreta, as tentativas de ridicularização, a violência verbal e física contra esses grupos jamais foram tão grandes no planeta.

Mas, no Brasil, 85% da população não pertence à esse tipo de "classes" acima, politizadas ou não. Os brasileiros são em sua MAIORIA pessoas comuns, que gostam de trabalhar, formar uma família, construir um casa, e viver em paz. E pagam mais que justíssimos impostos para isso.

Não passa pela cabeça de um brasileiro médio porque o preço da batata aumentou, o preço do tomate, o preço da gasolina e o preço da energia aumentou, enquanto o dinheiro dele, deste mesmo brasileiro médio, está financiando mineradoras em Cuba, petróleo e automóveis na Bolívia, energia gratuita para o paraguai, e cursos de comunismo para escravos arrebatados pelo MST. O brasileiro médio não quer saber disso. Ele quer ganhar sua vida. Por quê?

Então, como 15% da população está conseguindo doutrinar, envergar, cegar e mandar na cabeça do brasileiro? Por quê?

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino