.

Filo-lefebvrianos III

O artigo você poderá ler na íntegra no blog irmão Sensus Naturalis AQUI

Veja a primeira parte AQUI e a segunda parte AQUI.

" Os adversários de meus artigos [ do Padre Jose María Irarubu ] parecem não entender que uma coisa é ser tradicional e outra ser lefebvriano ou filolefebvriano. Os católicos, para sermos católicos, temos de ser todos tradicionais, como também temos de ser ao mesmo tempo bíblicos e fiéis ao Magistério apostólico de todos os Concílios e do Papa. "Tradição, Escritura e Magistério da Igreja, segundo o plano prudente de Deus, estão unidos e ligados, de modo que nenhum pode subsistir sem os outros" (Vaticano II, DV 10). Por isso, de nenhum modo criticamos aos lefebvrianos ou filolefebvrianos por seu amor à Tradição católica, mas porque, atuando e pensando contra ela, - admitem as ordenações episcopais cismáticas, realizadas contra a Lei da Igreja e da vontade expressa do Papa, - mantém durante vários decênios, e todavia hoje, "reservas sobre a obediência à sua autoridade doutrinal [do Papa] e a do Concílio" (Bento XVI, 10/03/2009), - e resistem à Liturgia católica em sua forma ordinária atual, que foi renovada em 1970 por Paulo VI, como se fosse inconciliável com a liturgia antiga."

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino