.

A Suma Teológica de Santo Tomas de Aquino em forma de Catecismo (1ª Parte, Tópico 18)


“A Suma Teológica de Santo Tomas de Aquino em forma de Catecismo” do Pe. Tomas Pégues, O. P., é uma excelente obra para aqueles que desejam iniciar o estudo da Obra Magna de Santo Tomás. Um tanto raro aqui no Brasil, haja vista que sua última edição em português data do início da década de 40, este livro é formulado como todos os catecismos tradicionais em perguntas e respostas e é de agradável leitura.


PRIMEIRA PARTE: DE DEUS, SER SOBERANO E SENHOR DE TODAS AS COISAS


XVIII. DO ESTADO FELIZ EM QUE FOI CRIADO O HOMEM

Criou Deus o homem perfeito?

Sim.


Que bens compreendia o primitivo estado de felicidade em que o homem foi criado?

Ciência claríssima e universal, justiça original unida à prática de todas as virtudes, império absoluto da alma sobre o corpo e domínio sobre todas as criaturas (XCIV, XCV, XCVI).


O primeiro homem possuía esses bens, na qualidade de privilégio exclusivo e intransferível?

Em relação à ciência, sim; porém, a justiça original e os dons de integridade se transmitiriam por geração a todos os seus descendentes, pois eram inseparáveis da natureza humana enquanto deles não fosse o homem despojado pelo pecado (XCIV, 1).


O homem estava sujeito à morte?

Não (XCVI, 2).


Estava isento de sofrimento e de dor?

Sim; visto que a alma, por especial privilégio, protegia o corpo contra todo o mal e ela por sua vez de coisa alguma podia receber dano, enquanto a vontade permanecesse submissa a Deus (XCVII, 2).


Logo, o homem foi criado em estado de verdadeira felicidade?

Sim.


E aquela felicidade era a última e suprema a que podia aspirar?

Não; era temporal e a ela devia seguir-se outra mais alta e definitiva (XCIV, 1, ad 1).


Como poderíamos chamá-la?

A primeira felicidade inicial, durante a qual o homem contrairia méritos para alcançar, a título de recompensa, o estado de felicidade último e perfeito (XCIV, 1,2,2; XCV, 4).


Onde o homem receberia o galardão que havia de coroar a sua felicidade?

No céu da glória, em companhia dos anjos, para onde seria levado por Deus, depois de algum tempo de prova e méritos no primitivo estado (XCIV, 1, ad 1).


Onde o homem habitaria, enquanto contraía méritos para ser levado à glória?

Num jardim de delícias, expressamente preparado por Deus (CII).


Como se chamou aquele lugar de delícias?

Paraíso terreal.

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino