.

Reflexão do leitor sobre o artigo dos sedevacantistas


Apesar de muito grande... foi muito instrutivo. Depois quero maiores informações sobre aquele teste de Forer,  achei interessante e não conhecia. Já que não há como responder pelo lado religioso, vamos ver se neurologicamente as pessoas entendem porque eles são tão teimosos.
 
Penso que os modernistas usaram a ciência contra a religião ... e ... chegou a hora de usarmos a ciência a favor da religião.

 Um coisa que percebo é como algumas correntes da psicologia pensam algumas coisas. Mesmo que o discurso, ou melhor, que a crença dos psicólogos não seja a nossa, muito do que eles dizem podem ser usados por nós.

Penso nisso, pensando, por exemplo, em Flávio Gikovate, apesar de aceitar muitas coisas estranhas à fé católica, ele sempre bate no sexo casual, fala do problema das relações apenas sexualizadas (genitalizadas) etc. Penso em escrever algo tratando do sexo tendo ele como base científica. Isso pode atingir pessoas que não são necessáriamente católicas e isso já seria bom. 

Quem sabe uma vida menos perdida na questão do sexo não abre espaço para um conversão futura, uma vez que a família pode ganhar uma dimensão importante na vida das pessoas. Acho que temos que começar a pensar em proteger as instituições conservadoras... e que a oração faça o resto do trabalho. 

O seu texto mesmo sobre as questões psicológicas dos sedevacantistas pode servir para muitos outros tipos de personalidade. Talvez conhecer esse teste Forer pode ajudar as pessoas até a melhorarem sua própria autopercepção. Imagine o quanto isso é importante para a vida espiritual das pessoas?

Continuaremos a fazer o que a Igreja sempre fez, com a filosofia, por exemplo. Depois de depurada, a filosofia sempre foi serva da teologia. A psicologia, depois de depurada, pode ser um serva da moral, da vida espiritual.

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino