Desfazendo o mito do chip apocalíptico

.
Para Dom Williamson estar com a unha encravada é culpa da Maçonaria, para os sedevacantistas a besta apocalíptica é um Papa Conciliar, sendo que o quadro dela sempre é renovado em cada consistório rssss e para os emergêntes das seitas neopentecostais a tão citada marca da besta seria um chip a ser implantado na pessoa. 

Nesse ano entrará em vigor nos EUA a implantação de chips nos cidadãos americanos. Acho muito boa a idéia! Tem que trazer isso para o Brasil também. Aliás, quando eu ficar rico vou colocar chips localizadores nos meus filhos.

Eu acho uma grande besteira dizer que um chip ou localizador GPS seja sinal da besta. Pelo amor de Deus, vamos deixar essas superstições cristãs de lado.

O chip para identificação nada mais é do que uma substituição ao que já existe. O que não percebemos é que nós já somos marcados. Para a Polícia Federal, por exemplo, eu não sou o David A. Conceição. Sou o número do meu RG!

Todos nós já somos marcados! Todos temos uma cicatriz no braço por causa de uma vacina obrigatória. Todos deixamos nossas impressões digitais num papelzinho que está sob guarda do governo. Todos temos um Registro Geral e um Cadastro de Pessoas Físicas, além da certidão de nascimento.
 
Muitos no serviço usam crachás e são vigiados constantemente por câmeras.

Quando vou reconhecer firma em cartório, tudo que preciso é por meu polegar direito num aparelhinho (inventado pelo demônio, talvez?!) e... tchã nan! Tudo pronto!!

Repito: se surgir um chip ou algo semelhante, será em substituição às marcas que já temos. Seria muito mais fácil pôr meu dedo mum aparelhinho do que passar o cartão de crédito e assinar um papelzinho. Mais fácil, mais rápido e mais 
século XXI!

E nem precisa usar baterias! Basta fazer um cartão de memória flash no bom estilo BIOS, MP3 e Pen Drive. A memória flash é feita de um material que guarda as informações mesmo sem carga elétrica. 

Privacidade? Vivemos num reality show sendo filmados a todo momento. Onde está minha privacidade quando vou tirar meu rico dinheirinho de um caixa eletrônico?

A segurança e a praticidade fala mais alto! Imagina se todas as pessoas recebessem uma identificação no hospital? Se um dia formos assaltados, pelo chip se descobre o ladrão! Se matricular na escola/faculdade ia ser moleza! A secretária só ia dizer: 
passe sua mão aqui, por favor! Pronto!

A vida mudaria radicalmente e tudo seria muito mais fácil e rápido. 


O que muitos não estão entendem é: TODOS NÓS SOMOS CONTROLADOS há muitos anos. O RG e CPF não é opção. É lei. Temos que ter documentos que comprovem nossa existência!
 
As grandes cidades e estabelecimentos públicos fechados estão rodeados de câmeras que nos vigiam. Na Inglaterra a polícia já adverte o ladrão antes dele roubar através de câmera e alto-falantes: instalam uma câmera com alto-falante na rua; quando algúem comete alguma infração, o policial, a quilômetros de distância manda a pessoa consertar o erro. Isso é o quê? Vigilança! É o avanço da tecnologia a favor da segurança pública.  

Alem do mais, dispositivos de RFID (chips de tecnologia de radiofrequência) são tão pequenos, que podem ser injetados na pessoa com uma simples arma de pressão, à distância, como que numa picada de mosquito, e a pessoa não vai sentir absolutamente nada.

Logo, se tiver de ser qualquer razão dessa paranóia, será, sem que se possa optar por 
ser marcado ou não.

Se uma pessoa morar em uma casa/ apartamento cujo número é o 666
 
Ali mora a besta?

Por que simplesmente não confiamos na Igreja e nos alertas que ela fizer, se e quando fizer, ao invés de acreditarmos nas hipóteses que achamos mais interessantes ?

Às vezes nos cansamos da realidade, mas não é por isso que precisamos nos agarrar a alguma tese fantasiosa só porque ela parece ser mais 
emocionante ou sinistra do que a simplicidade do dia-a-dia. Conheço quem deseja muito que o cotidiano fosse como nos filmes ou HQs, e não como ... a realidade.

Para todos que se apegam a teorias da conspiração, por acharem-nas mais interessantes do que a aparente calmaria do cotidiano real.

Tenho minhas dúvidas se aqueles que acreditam que o tal chip é a marca da besta o fazem por saberem ser isso verdade, ou por que leram, acharam interessante e 
escolheram essa tese para acreditar, tendo por guia mais o gosto pessoal do que a razão ou a coerência religiosa.  

Um reflexão:

A Segunda Besta

Esta besta vem da terra e tem chifres como um cordeiro. A imagem do cordeiro é dissonante, já que a esta altura já nos acostumamos a associá-la com coisas sagradas.

Scott crê que o uso dela por meio de João é intencional, pois ele acha que essa besta tem a finalidade de sugerir o sacerdócio corrupto na Jerusalém do séc.I.

O primeiro indício é que esta besta sobe 
da terra, que no grego original tbém poderia significar do solo ou "do campo", em oposição a do mar, que gera os animais dos pagãos (veja Dn 7).


Além disso, é provável que João desse testemunho da transigência da autoridade sacerdotal, ocorrida apenas alguns anos antes.Em um momento histórico dramático, a autoridade religiosa jurou fidelidade à autoridade governamental corrupta, em vez de jurá-la a Deus.

Jesus, o Cordeiro de Deus, Rei supremo e sumo sacerdote, ficou em pé diante de Pilatos e dos sumos sacerdotes dos judeus.Pilatos disse aos judeus: 
Eis o vosso rei!” Eles se puseram a gritar: À morte! À morte! Crucifica-o! Pilatos replicou: Devo eu crucificar o vosso rei? Os sumos sacerdotes responderam: Nós não temos outro rei, senão César (veja Jo 19,15).


Na verdade, foi o sumo sacerdote em pessoa, Caifás, quem primeiro falou do sacrifício de Jesus como 
do interesse do povo (veja Jo 11,47-52).


Assim, rejeitaram Cristo e elevaram César. Rejeitaram o Cordeiro e adoraram a besta. Com certeza, César era o governante e,como tal, merecia respeito (Veja Lc 20,21-25). Mas César queria mais que respeito. Exigia adoração sacrifical, que os sumos sacerdotes lhe concederam ao entregar-lhe o Cordeiro de Deus. 

A besta se parece com um cordeiro em alguns aspectos superficiais. Vemos que tudo que faz é arremedo e zombaria da obra salvífica do Cordeiro. O Cordeiro está de pé como se tivesse sido imolado; a besta recebe um ferimento mortal, mas se recupera. Deus entroniza o Cordeiro; o dragão entroniza a besta. Os que adoram o Cordeiro recebem seu selo na fronte (Ap 7,2-4); os que adoram a besta usam a marca da besta.

O que nos leva à difícil pergunta: qual é a marca da besta?
João nos diz que é o nome da besta, ou o número de seu nome.O que é isso? João responde com uma charada: 
È o momento de ter discernimento. Quem tiver inteligência, interprete o número da besta, pois é um número de homem. E o seu número é 666 (Ap 13,18).


Em um nível, talvez o número represente o imperador romano Nero,pois esse nome transliterado em hebraico tem, na verdade, o valor 666. Contudo, há muitas outras possibilidades, diferentes ou adicionais.

Considere que 666 era o número de talentos de ouro que o rei salomão recebia anualmente das nações (veja IRs 10). Considere tbém que salomão foi o primeiro sacerdote-rei desde melquisedec (veja Sl 110). Além disso, João diz que no discernimento do número da besta 
está a sabedoria (Ap 13,18 notaJ), o que alguns intérpretes entenderam como outra referencia a Salomão, célebre por sua sabedoria.


Por fim, 666 pode ser interpretado como degradação do número sete, que, na tradição israelita, representava perfeição, santidade e aliança. O sétimo dia , por ex., foi declarado santo por Deus e destacado para descanso e adoração. O trabalho era feito em seis dias, entretanto, era santificado na adoração sacrifical representada pelo sétimo dia.

O número 666, então, representa um homem paralizado no sexto dia,servindo à besta, que se preocupa em comprar e vender (veja Ap 13,17) sem descanso para a adoração. Embora o trabalho seja santo, torna-se mau quando o homem se recusa a oferecê-lo a Deus. 

Contudo, precisamos ser claros qto a uma coisa. Essa interpretação não deve levar nenhum cristão a justificar o anti-semitismo. O livro do Apocalípse demontra de maneira completa dignidade de Israel - seu Templo, seus profetas, suas alianças.

O Apocalípse deve, antes, levar-nos a um maior apreço por nosso patrimônio em Israel - a uma consideração sansata de nossa responsabilidade diante de Deus. Vivemos conforme nossa aliança com Deus? somos fiéis a nosso sacerdócio? O livro representa uma advertencia a todos nós.

A mensagem incômoda é esta: combatemos forças espirituais, forças imensas, depravadas, malévolas. Se tivéssemos de combate-las sozinho, seríamos derrotados. Mas eis a boa notícia: há um jeito de termos esperança de vencer. A solução tem de medir forças com o problema, poder espiritual com poder espiritual, beleza imensa com feiúra imensa, santidade com depravação, amor com malevolência.

A solução é a MISSA, quando o céu vem salvar a terra sitiada.


Livro: O banquete do cordeiro 

.
.
Se você possui conta no Bradesco, mude de banco. Ele já está servindo ao anticristo por querer a segurança de seus clientes. 

.

PARA CITAR ESTE ARTIGO:

Desfazendo o mito do chip apocalíptico

David A. Conceição, 01/2013 Tradição em Foco com Roma.

Grupo Tradição - Vaticano II acesse:


CRÍTICAS E CORREÇÕES SÃO BEM-VINDAS: 

tradicaoemfococomroma@hotmail.com

 

©2009 Tradição em foco com Roma | "A verdade é definida como a conformidade da coisa com a inteligência" Doctor Angelicus Tomás de Aquino